Arrhenius – ácidos e bases: condutibilidade elétrica

 

Arrhenius

Caixa contendo experiências sobre ácidos e bases: condutibilidade elétrica

Svante August Arrhenius (1859 – 1927)

Físico, matemático e químico sueco, nascido no condado de Wijk, criador da teoria da dissociação eletrolítica.

Foi em 19 de fevereiro de 1859 que Carolina Tumberg deu a luz um filho, batizado com o nome de Svante August Arrhenius. O pai Svante Gustav Arrhenius, era, nessa época, administrador do condado sueco de Wijk, de onde a família mudou para a cidade próxima de Uppsala. Foi na escola da catedral dessa localidade que Svante completou o curso secundário, aos dezessete anos, obtendo ótimas notas em Matemática, Física e Biologia.Universidade_Upsala Ingressou então na universidade Upsala, onde, durante cinco anos, estudou Matemática, Física e – com menor interesse – Química.

Universidade de Upsala

Após a graduação em 1881, Arrhenius mudou-se para Estocolmo, cidade que oferecia melhores possibilidades de pesquisa. Lá, foi acohido cordialmente pelo professor Erik Edlung, em cujo laboratório de Física passou a trabalhar.Edlung

Em Estocolmo (1821) cursou o doutoramento, estudando com o professor Erik Edlund, que o orientou no estudo das descargas elétricas através dos gases (1891-1905). As anomalias observadas nas propriedades das soluções de eletrólitos, substâncias solúveis pela ação da eletricidade, levaram-no a estabelecer a teoria da dissociação eletrolítica, cujos fundamentos foram apresentados pela primeira vez à comunidade científica quando da defesa de sua tese de doutorado (1884), no Instituto de Física de Estocolmo, passando a se dedicar exclusivamente a sua pesquisa sobre eletrólitos (1886-1890).

 

Definitivamente se tornou o criador da teoria da ionização dos eletrólitos (1887), ao aperfeiçoar o enunciado de sua teoria e receber o apoio de renomados cientistas de sua época como William Ostwald, Ludwig Boltzmann e Jacobus van’t Hoff. Sua conclusão era que os eletrólitos em solução dissociavam-se em partículas carregadas eletricamente e que a soma das cargas positivas e negativas era igual, sendo a solução, portanto, eletricamente neutra. Essas partículas carregadas, denominadas ânions, quando negativas, e cátions, quando positivas, se formavam a partir das estruturas químicas das substâncias solubilizadas.Eletrolise

Se uma substância é capaz de fazer aumentar a concentração de íons hidrogênio da água em que foi dissolvida, diz-se que essa substância é um ácido. Na maioria das vezes tal aumento decorre de uma dissociação das moléculas do ácido com a consequente produção de íons hidrogênio. Certas substâncias chamadas indicadores, mudam de cor com a concentração de íons hidrogênio. O tornassol, por exemplo, é azul para uma baixa concentração desses íons, mas fica vermelho quando essa concentração ultrapassa um determinado nível. Existem aparelhos, como o potenciômetro, que permitem determinar a concentração desses íons atravez da tensão elétrica que eles desenvolvem.

OstwaldAo lado, Wilhelm Ostwald, o grande protetor de Arrhenius.

Foi nomeado reitor do Real Instituto de Tecnologia de Estocolmo (1896). Cunhou a expressão efeito estufa (1896), prevendo que a queima de combustíveis fósseis, como o petróleo, aumentaria a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera e levaria ao aumento das temperaturas em todo o globo terrestre. Também formulou uma teoria sobre as caudas dos cometas com fundamento na pressão de radiação (1900). Apesar de seu prestígio no exterior, teve de enfrentar forte oposição na Suécia para ser nomeado (1901) membro da Academia Sueca de Ciências. Ganhou o Prêmio Nobel de Química (1903) por sua teoria da dissociação eletrolítica e foi diretor Instituto Físico-Químico da Fundação Nobel (1905-1927). Em Worlds in the Making, advogava a teoria de que a energia no mundo era auto-renovável.  Quando, em 1909, foi fundado, em Estocolmo, o Instituto Nobel de Físico-Química, Arrhenius foi nomeado seu diretor, permanecendo no cargo até 1927. Retirou-se do posto por questões de saúde, vindo a falecer no mesmo ano.

Fonte: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/SvanteAA.html

Para saber mais sobre ácidos e bases:

http://pt.wikibooks.org/wiki/Introdu%C3%A7%C3%A3o_%C3%A0_Qu%C3%ADmica/%C3%81cidos_e_bases

ou:

http://pt.shvoong.com/exact-sciences/chemistry/1883861-guia-estudo-_qu%C3%ADmica/

e:

http://www.qmc.ufsc.br/~minatti/docs/20051/exp2.doc

http://74.125.93.132/search?q=cache:g-MqalQgSAkJ:www.dfq.pucminas.br/apostilas/eng_quimica/quimica_pratica7.doc+experiencias+com+condutividade+el%C3%A9trica&cd=9&hl=pt-BR&ct=clnk

http://cienciatube.blogspot.com/2009/05/condutividade-eletrica-da-agua-salgada.html

Junte-se a nosso time. Se você ainda possui as caixas de isopor em sua casa entre em contato conosco pelo email cipexbr[arroba]yahoo[ponto]com Ajude nossa campanha pelo resgate da memória e história da ciência e para o retorno da coleção “Os Cientistas”.

Contribuição das fotos do kit do Profº Newton C. Frateschi do departamento de física da Unicamp

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: