Priestley – luz e a fotossíntese

PriestleyCaixa que continha experiências sobre a luz e a fotossíntese

Joseph Priestley (1733 – 1804)

Clérigo, químico, gramático e professor de línguas inglês nascido em Birstall Fieldhead, perto de Leeds, Inglaterra, um dos precursores da química moderna e famoso por de ter sido um dos descobridores do oxigênio. Estudou com um ministro dissidente da igreja inglesa local e revelou talento para línguas e quando ingressou na congregação dissidente de Nantwich, abriu uma escola (1758), onde além de ensinar inglês, realizava experiências científicas. Tornou-se ministro dissidente em Warrington (1762), em cuja academia lecionou e desenvolveu intensa atividade literária, publicando tratados de gramática inglesa, história e conclusões de pesquisas no campo da química. Por influência de Franklin, resolveu pesquisar eletricidade e publicou The History and Present State of Electricity (1767), em que faz uma compilação das teorias da época e descreve suas próprias experiências, o que o levou a entrar para a Royal Society of London. Suas pesquisas químicas ajudaram Lavoisier a derrubar a teoria do flogístico. Descobriu a existência do oxigênio ao investigar uma reação existente entre processos de combustão e respiração: conseguiu obter um gás incolor ao aquecer o óxido vermelho de mercúrio, a quem chamou de gás perfeito ou ar desflogisticado (1774). Depois da descoberta foi a Paris, onde encontrou-se com Lavoisier e outros cientistas, aos quais relatou suas pesquisas. Lavoisier deu ao novo gás o nome de oxigênio, do grego fazedor de ácido, e nele viu uma prova definitiva contra a teoria do flogístico, que até então explicava a combustão pela existência de um fluido nas substâncias combustíveis. Descobriu vários outros gases entre eles o nitrogênio, o protóxido de nitrogênio, o amoníaco, o gás clorídrico, o gás carbônico, o anidrido sulfuroso e o gás hilariante (óxido nitroso) empregado largamente a seguir como anestésico e inventou a soda (água gaseificada). Anteviu a lei do quadrado inverso da atração elétrica, descobriu que o carvão vegetal é condutor de eletricidade e estabeleceu uma relação entre a eletricidade e as mudanças químicas. Publicou Diferentes espécies de ar (1790) e, depois, História das corrupções do cristianismo (1792). Político partidário dos ideais da Revolução Francesa, da causa separatista dos colonos americanos e da separação entre igreja e estado, foi obrigado a fugir (1794), para os Estados Unidos, estabelecendo-se em Northumberland, na Pensilvânia, onde reiniciou suas experiências com o apoio do seu grande amigo dos tempos da Inglaterra, Benjamin Franklin. Como pensador sempre defendeu os princípios da revolução francesa e da liberdade civil e religiosa. Devido a sua religião liberal e opiniões políticas, levou vida atribulada e viu sua casa e seu laboratório queimados por uma multidão movida por motivos políticos, após a execução de Luís XIV e a declaração de guerra à França (1793). Emigrou para os Estados Unidos (1794), de onde não mais saiu, vindo a falecer em Northumberland, Pensilvânia.

Fonte: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/JophPrie.html 

Contribuição das fotos do kit de Márcio Luisi 

Anúncios

4 Respostas to “Priestley – luz e a fotossíntese”

  1. legal,
    me ajudou no trabalho escolar,
    obg

    • Ficamos satisfeitos em tê-la ajudado.
      Fique à vontade para visitar o blog e fazer suas pesquisas.
      Estamos sempre atualizando-o.
      Grande abraço

  2. valewwww me ajudou bastantee

  3. me ajudou muito essa pesquisa fuii otima no trabaloo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: